Síndrome respiratória tratamentos cuidados e as causas




Síndrome respiratória tratamentos cuidados e as causas

Síndrome respiratória

A síndrome respiratória aguda grave, também conhecida como pneumonia atípica ou pneumonia asiática, é uma doença que eclodiu em 2003. Ela não é facilmente transmitida de uma pessoa para outra como uma gripe comum.

O nome pneumonia asiática foi lhe dado por conta da maioria dos casos estarem presentes nessa região. Mas, se a doença surgiu no oriente, não se restringiu somente ao oriente. Pessoas que viajaram até aqueles locais se infectaram e desenvolveram a doenças em outras localidades do mundo, facilitando sua transmissão.

Síndrome respiratória

Os sintomas da doença em fase inicial são sentidos entre dois e dez dias. São sintomas: dores no corpo, dores nas juntas, fadiga, dores na cabeça, dores de garganta, a perda de apetite, e é possível que a pessoa também tenha diarreia, apesar de só estar presente em casosSíndrome respiratória raros.

Bem, esses sintomas podem evoluir para uma tosse recorrente, seca e constante, febre acima de 38 graus, chegando até mesmo a trazer insuficiência respiratória. Quando esses sintomas se apresentam de maneira mais presente, atrapalhando a respiração da pessoa, ela é encaminhada à UTI, para respirar com ajuda de aparelhos.

Causa

Ainda existem poucas coisas concretas sobre a causa dessa doença. O que pesquisadores sabem até agora é que a síndrome respiratória é causada por um vírus pouco conhecido, chamado coronavírus Sars-CoV.

A transmissão pode ser feita por meio de gotículas contaminadas presentes no ar, e quando um indivíduo doente tosse ou espirra o vírus, eliminando-o de seu corpo e passando-o para outra pessoa (sadia) que estiver no ambiente.

A doença também pode ser transmitida quando uma pessoa doente toca um objeto e, depois, uma pessoa sadia também estabelece contato com o objeto contaminado.

Tratamento

A pneumonia atípica é uma doença relativamente nova, e, por isso, pouco conhecida entre os médicos e cientistas. Pesquisas, estudos e testes laboratoriais são feitos constantemente para colher mais informações sobre o tratamento.

Por causa desse desconhecimento, ainda não existe uma maneira de tratar especifica para a síndrome. Os médicos ainda cuidam dos seus pacientes da mesma maneira como tratam casos de pneumonia grave.

Antivirais e corticoides podem ser usados, mas sua eficiência ainda não foi comprovada. Portanto, os tratamentos se dão pelos tradicionais antibióticos usados, também, para pneumônicos.

Portanto, quando se fala de medicamentos, pode-se afirmar que não existe remédio eficaz para a síndrome respiratória. O que existem são medicamentos que eram usados para outros fins que visam dar melhores condições ao paciente para que seu organismo combata a doença.

Cuidados

Pela dificuldade de se obter mais informações do vírus. Os cuidados que estão sendo tomados pelas autoridades são para alertar as pessoas sobre o perigo existente.

Os profissionais da saúde têm conscientizado turistas em aeroportos e navios, já que essas pessoas são as que têm maior probabilidade de adquirir a doença. Aconselhando os que estabeleceram contanto com pessoas que possivelmente podiam estar doentes procurem atendimento médico.

Também há orientações aos contaminados, para que não transmitam a doenças para outros. Estes não deverão sair de casa por dez dias depois de sua cura. Além disso, deverão usar máscaras durante o período de tratamento.

 Assine  o  nosso  blog  fique informado sobre   novas  postagens

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.