Scroll Top

Hipertensão tratamento e os cuidados na menopausa

Hipertensão

Quando as mulheres atingem a fase da menopausa, entre 45 e 55 anos, elas sofrem algumas modificações em seu organismo. Nesse momento, a atenção precisa ser redobrada porque não são apenas as ondas de calor que aparecem, outras doenças podem aparecer. Uma delas é hipertensão, que não apresenta sintomas iniciais, mas a longo prazo podem complicar a saúde.

A menopausa faz a mulher perder sua proteção natural contra os males cardiovasculares. Nesse período, ela deixa de produzir estrogênio, hormônio que é um protetor natural e tem propriedades vasodilatadoras. A falta desse hormônio vai, ao longo dos anos, aumentar a propensão ao aumento da pressão arterial.

Com a pressão alta, os riscos de a mulher sofrer um infarto ou um AVC (acidente vascular cerebral) e a possibilidade de desenvolver uma doença renal crônica, aumentam consideravelmente.

Fatores queHipertensão podem aumentar os riscos de hipertensão

É recomendável evitar fatores de risco, como colesterol alto, tabagismo, obesidade, estresse e o principal vilão do aumento da pressão, o consumo excessivo de sal. A mulher precisa se preocupar com esses fatores, pois quando a doença se manifesta, ela já está em um estado avançado.

A terapia de reposição hormonal consiste no uso dos hormônios femininos estrogênio e progesterona para aliviar os sintomas da menopausa, como ondas de calor, perda do apetite sexual e ressecamento vaginal. Entretanto, essa alternativa está associada com maiores chances de hipertensão.

Tratamento

A estratégia mais eficaz para o controle da hipertensão e a redução do aparecimento de doenças relacionadas a ela nesse período da vida da mulher é a mudança no estilo de vida. Uma dieta saudável é essencial para manter a boa forma, já que, na menopausa, a mulher acaba engordando, o que colabora para o aumento da pressão.

A prática regular de exercícios aeróbicos pode contribuir para o aumento da capacidade funcional do corpo, controlando a pressão. Pode-se considerar como uma estratégia terapêutica complementar.

Dicas para enfrentar a menopausa mais tranquilamente

Realize todos os exames anuais recomendados pelo seu médico, entre eles os de controle de glicemia, colesterol, vitamina D e cálcio, e não esqueça de fazer mamografias e exames pélvicos. No exame de colonoscopia feito aos 50 anos, será determinado com que frequência você deve repetir esse exame no futuro.

Tenha atenção aos seus dentes. Escove-os ao menos duas vezes ao dia, sempre fazendo o uso de fio dental para ajudar a prevenir a doença periodontal (inflamação das gengivas), que afeta a sua saúde cardiovascular.

Quando a mulher se encontra em pré-menopausa, ela precisa consumir pelo menos de 1.000 a 1.200 miligramas de cálcio por dia, e as em pós-menopausa devem tomar 1.500 mg de cálcio por dia e 500 mg de magnésio e vitamina D, para que o cálcio ingerido tenha o máximo de absorção pelo organismo.

Peça orientação ao seu médico sobre os prós e contras do uso da terapia de reposição hormonal. Ela não é recomendada para mulheres em situação de risco para trombose, câncer de mama ou doenças cardíacas.

 Assine  o  nosso  blog  fique informado sobre   novas  postagens

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.